55 14 99695-3366

VÍCIO EM DROGAS

É quando a pessoa não consegue parar de consumir a droga, porque o organismo acostumou-se com a substância e sua ausência provoca sintomas físicos aversivos (síndrome da abstinência), ou porque a pessoa acostumou-se a viver sob os efeitos da droga, sentindo um grande impulso de usá-la com frequência (fissura).

Existem duas formas principais em que a dependência se apresenta: a física e a psicológica.

Dependência física: caracteriza-se pela presença de sintomas e sinais físicos que aparecem quando o indivíduo para de tomar a droga ou diminui bruscamente o seu uso, ou seja, quando o indivíduo apresenta a síndrome de abstinência. Os sinais e sintomas de abstinência dependem do tipo de substância utilizada e aparecem algumas horas ou dias depois que ela foi consumida pela última vez.
Dependência psicológica: corresponde a um estado de mal-estar e desconforto que surge quando o dependente interrompe o uso da droga. Os sintomas mais comuns são: busca compulsiva pela droga ou fissura; ansiedade; sensação de vazio; e dificuldade de concentração.

O interesse da pessoa que se droga geralmente é a busca pelo prazer ou a fuga de seus problemas. As pessoas se drogam porque desfrutam de uma sensação passageira de bem estar dada pela droga psicoativa.

Quase todas as drogas psicotrópicas induzem a liberação em maior ou menor grau dos neurotransmissores que atuam nos locais do cérebro que geram sensações de prazer, como, por exemplo, a serotonina e a dopamina. O problema é que a sensação passageira de prazer é seguida da necessidade de mais prazer, pois há um desequilíbrio neuroquímico induzido, causando a dependência psicológica e/ou física.

Depois de estabelecida a dependência, a saúde da pessoa, aliás, tudo fica em segundo plano. A necessidade de consumir a droga se torna a prioridade na vida da pessoa. Por isso a prevenção do uso de drogas é de suma importância.

Droga é atualmente definida pela medicina como “qualquer substância capaz de modificar a função dos organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento”. Existem drogas naturais, obtidas por meio de determinadas plantas, animais e alguns minerais, e drogas sintéticas, fabricadas em laboratório, exigindo para isso técnicas especiais. As drogas também podem ser classificadas como lícitas e ilícitas. Lícitas quando o uso é permitido por lei e aceito pela sociedade; ilícitas quando o uso é proibido por lei.

No senso comum, o termo droga está associado às substâncias proibidas, de uso ilegal e nocivo ao indivíduo, que causam mudanças nas funções, sensações, humor e comportamento da pessoa, como a maconha, a cocaína e o crack. Porém, do ponto de vista da saúde, muitas substâncias lícitas podem ser igualmente ou até mais perigosas, como, por exemplo, o álcool e o tabaco.

É o surgimento de sinais e sintomas físicos desagradáveis de intensidades variáveis que aparecem quando o usuário para ou reduz abruptamente o consumo da droga.

VÍCIO EM ÁLCOOL

Alcoolismo não é o termo mais adequado que se usa, porque carrega uma questão mais negativa, a sociedade olha isso como prejudicial, então chamamos de dependência de álcool. A dependência de álcool é quando a pessoa que faz uso frequente de álcool começa a diminuir as ações diárias dela. Por exemplo: antes trabalhava e começa a faltar, estudava, mas abandona o estudo, começa a ter conflitos na família e a não dar conta de tudo o que é do cotidiano.

No longo prazo, pode causar perda de memória, doenças hepáticas, cirrose e desnutrição, deficiência de vitaminas porque não se alimenta direito. Há complicações no pâncreas e alterações gastrointestinais. O álcool é um carboidrato e, dentro do organismo, vai reduzir a fome, e a pessoa vai cada vez mais beber do que se alimentar. Nos homens, pode causar impotência sexual.

Não necessariamente. Não podemos determinar só pela frequência e quantidade consumidas. O diagnóstica inclui parte do social também. Quanto mais o paciente não dá conta, não consegue trabalhar, tem a vida comprometida, mais tem inclinação para ser dependente. Mas há questionário em que se apresentar três de sete critérios já pode considerar dependente de álcool. Por outro lado, há chance de em uma dose de vinho ou de whisky por dia desenvolver dependência.

Identifica-se pelos prejuízos sociais, principalmente, mas também pela pessoa que se separa da família, não aguenta mais, perdeu o emprego, largou o estudo. Um dos sintomas da dependência é o abandono progresso dos prazeres e dos interesses alternativos, ou seja, de tudo o que faz na vida. 

DEPRESSÃO

A depressão é uma doença complexa que afeta corpo e mente e manifesta-se por sintomas emocionais e físicos. Conhecida também como Transtorno Depressivo Maior (TDM), é caracterizada por sinais que interferem na habilidade para trabalhar, estudar, comer, dormir e apreciar atividades antes agradáveis.
 

As causas da depressão ainda são desconhecidas. A teoria neuroquímica é a mais aceita e sugere que uma disfunção no sistema nervoso central seja a responsável pela doença. A diminuição dos neurotransmissores serotonina e noradrenalina no sistema nervoso central são os responsáveis tanto pelo aparecimento dos sintomas emocionais quanto físicos da depressão.
 

A depressão se manifesta por sintomas emocionais e físicos. Os principais são:

- Sintomas emocionais: tristeza, perda de interesse, ansiedade, angústia, desesperança, estresse, culpa, perda da libido, dificuldade de raciocínio, indecisão, baixa auto-estima, alteração no sono, ideia suicida, entre outros;

- Sintomas físicos: baixa energia, alteração no sono, dores inexplicáveis pelo corpo (sem causa clínica definida), dor de cabeça, alteração no apetite, alterações gastrintestinais, alterações psicomotoras, entre outras.

Nós garantimos a você que sim. Entre em contato conosco e saiba como curar esse mal.